Mais de 9 milhões de pessoas chamam Teerã de sua casa, e outros 7 milhões vivem na área metropolitana, infelizmente, sendo uma das cidades mais poluidas.

Teerã a metrópole que mata

Mais de 9 milhões de pessoas chamam Teerã de sua casa, e outros 7 milhões vivem na área metropolitana, infelizmente, Teerã é também uma das cidades mais poluídas do mundo. Os habitantes se acostumaram a questões ambientais severas. Por volta desta época, todos os anos, uma grossa cortina de névoa tóxica cai sobre a cidade, mas agora está ainda pior que o normal.

Habib Kashani, membro do conselho municipal de Teerã, disse na terça-feira que a poluição em Teerã já havia matado 412 cidadãos nos últimos 23 dias, e a contagem continua. As escolas foram fechadas e as pessoas foram aconselhadas a ficar dentro de casa ou usar máscaras quando sair.

A concentração de partículas ultra-finas PM2.5 atingiu 156, sobre o nível de 150, que já é considerado insalubre. Em algumas partes da cidade, a marcação é de 167, incitando as autoridades a pedir desculpas aos turistas. No entanto, ninguém parece pensar ou pedir desculpas aos moradores locais.

1234050

“Esperamos que a hospitalidade do nosso povo limpe a imagem cinzenta das belas atrações de Teerã”, disse Rajab Ali Khosroabadi, chefe de turismo da capital, à agência de notícias ISNA.

A PM2.5 é considerada a melhor medida do impacto da poluição atmosférica sobre a saúde. A Organização Mundial da Saúde divulgou recentemente um relatório onde se demostrou que Teerã não é a única cidade da região que sofre com este problema. O relatório ainda destacou a cidade iraniana de Zabol, na fronteira leste com o Afeganistão, como a cidade mais poluída do mundo.

A situação de Teerã é também exacerbada pela sua posição geográfica e por um fenómeno chamado de inversão de temperatura. Normalmente, o ar poluído é mais quente e se dispersa muito acima do solo, mas em Teerã (como em alguns outros lugares ao redor da Terra), um cobertor quente é criado acima da poluição, mantendo tudo escondido dentro da cidade. Mas, em sua maior parte, a própria Teerã é culpada.

O prefeito de Teerã, Mohammad Bagher Ghalibaf, viaja de metrô para trabalhar no domingo, em uma tentativa de incentivar as pessoas a usarem os transportes públicos. Cerca de 80% da poluição vem em seus carros, e outros 20% é devido à indústria local. O jornal local Ebtekar disse que pelo menos 1,25 milhões de carros obsoletos ainda estão ativos em Teerã e 60% das vezes, os carros só levam uma pessoa. Outra editora local, o jornal reformista Etemaad publicou uma coluna negra em sua primeira página dizendo “Nós somos todos culpados.” Ele continuou argumentando que “vocês não estão desligando seus carros” e “eles [os funcionários] só são capazes de fechar as escolas”.

A poluição é tão grave que há planos concretos para transferir a capital para outra cidade, com o governo de 2010 afirmando que “por razões de segurança e administrativas, o plano para transferir a capital de Teerã foi finalizado”.

A humanidade precisa aprender que manter sua cidade limpa inclui também seu ar, rios e mares. É preciso que cada um de nós faça, pelo menos, o mínimo possível para podemos garantir não só a nossa existência, mas também a de gerações futuras.

Compartilhe a ecologia!