Que o xamanismo é a mais antiga forma de culto da humanidade não resta duvidas, mas como vive-lo dentro do mundo em que vivemos hoje?

Xamanismo nos dias de hoje

Para entender o que é “xamanismo”, a primeira coisa que temos de fazer, é deixar de lado a visão ultrapassada de que precisamos nos exilar em uma floresta e encher a cara de alucinógenos. Essas são sim praticas xamânicas em algumas culturas, mas não é de forma alguma a essência do xamanismo.

Vivemos em cidades grandes e modernas, que nos dão a impressão de que vivemos separados da natureza. Assim, muitas pessoas se referem ao ato de acampar como “voltar à natureza”. A verdade é que nunca estivemos separados da natureza, apenas esquecemos nossa relação com ela.

Cada pensamento que temos, cada vez que abrimos uma torneira, colocamos o lixo para fora, passeamos com nosso cão, estamos gerando ondulações que impactam em toda a teia da vida. O xamanismo, em sua forma mais pura, é uma pratica que nos reconecta, nos mostrando que somos parte integrante da teia da vida, e que nossos atos, bons ou maus, têm consequências sobre ela.

O xamanismo é uma prática espiritual cujas raízes podem ser encontradas em praticamente todos os ancestrais do planeta, datando de estimativas de 40 a 100 mil anos. Não é uma religião, embora a maioria das religiões tenha práticas xamânicas.

Existem ferramentas, práticas ou crenças que podemos encontrar na maioria das culturas xamânicas que são comuns entre si. A maioria delas envolve alguma forma de comunicação ou conexão com a rede de vida ao nosso redor.

Quando alguém se senta, pacificamente, em seu quintal por um tempo, eles começam a sentir a presença de seu próprio quintal, as plantas, os insetos, os pássaros, os sons e os cheiros. Instintivamente sabemos que toda a vida é vibrante ao nosso redor. Esse é o coração do xamanismo, é o ato de reconectar-se com esta rede de vida, muitas vezes significa abrandar tempo o suficiente para experimentá-lo.

Por que alguém no moderno mundo do “trabalho-a-dia” quer aprender sobre o xamanismo? Alguém, que se levanta todos os dias, segue a mesma rotina, vê os mesmos colegas de trabalho, chega em casa, come, assiste tv e vai para a cama, começa a se perguntar o significado que sua vida pode ter.

Podem derivar algum significado de suas práticas religiosas, mas frequentemente se deparam com uma sensação “de perda do sentido da vida”, viver em uma cidade grande rodeado de sons, luzes e coisas muitas vezes sem sentido, apenas fazendo todos os dias as mesmas coisas, podem causar uma sensação de desesperança.

Esse estilo de vida, porque não dizer robotizado, das grandes cidades criam uma ilusão de separação. Assim, praticar ou estudar xamanismo (ou qualquer outra prática que reconecte alguém à teia da vida) é uma chave importante para a saúde do indivíduo, bem como para a saúde do lugar. Correr para as selvas só continua a propagar a ilusão de que estamos separados da natureza e leva as pessoas a acreditarem que seus pensamentos e comportamentos, onde vivem, são inconsequentes.

Existem duas razões muito distintas para praticar o xamanismo, sendo a primeira a saúde do indivíduo (tanto emocional como física) e a segunda, a saúde do planeta, onde quer que as pessoas estejam. Como um praticante de xamanismo, eu poderia compartilhar uma série de “milagrosas” experiências de cura longo dos anos, e elas são verdadeiramente maravilhosas, no entanto, os milagres que são mais necessários em nossas selvas urbanas são as mudanças na consciência e atitude de cada um.

Esses tipos de mudanças são comuns a cada pessoa que começa a estudar e praticar o xamanismo e, por sua vez, afeta cada relacionamento que o indivíduo tem, incluindo sua relação com seu ambiente. Nas culturas xamânicas tradicionais, as colheitas ruins ou as expedições de caça mal sucedidas eram consideradas “doenças”, tanto quanto um indivíduo realmente se tornando doente.

E se nós, realmente, somos uma parte vital desta teia da vida, então faz muito sentido que o crime, a poluição e a desarmonia em nossos bairros também sejam “doenças”. Nós não temos que derramar milhões de dólares, ou fugir para ser missionários em outros lugares para fazer a diferença em nosso planeta. Não queremos desencorajar aqueles que são chamados a fazer essas coisas, mas podemos nos reconectar com a teia da vida exatamente onde estamos e com isso podemos ajudar a aliviar a “doença” ao nosso redor, e afetar a saúde de nossa “tribo”. E esse é o coração e a alma da pratica xamânica.

Podemos pensar que o xamanismo é apenas para alguns poucos que vivem suas vidas de beco em beco, fumando sem se preocupar com o dia de amanhã, mas não é bem assim. O xamanismo é para todos, ele não uma religião, algo que se tenha que dar um ctrl+c e ctrl+v em seu cérebro, você se torna um xamã, não aprende a ser xamã. Ele é democrático e está aberto a todos que por ele se interessem.

A melhor parte de praticar xamanismo é que as pessoas não precisam mudar quem são ou no que elas acreditam. O que muda é a consciência, o xamanismo faz com que você se torne consciente de sua relação com tudo o que o rodeia. Na verdade praticar xamanismo pode realmente melhorar o seu sistema de crenças atual.

Vamos tomar o conceito de “amar o seu próximo como a si mesmo”, por exemplo. Se alguém está operando na crença da ilusão de separação, então amar o próximo pode ser um estiramento, uma situação “nós e eles”. Se alguém começa a entender a teia da vida, então eles começam a ver o próximo como uma extensão de si mesmo na unicidade dessa teia, e amar o próximo é amar a si mesmo.

O que é uma viagem xamânica? “Eu pensei que você não tinha que correr em nenhum lugar.” Uma jornada xamânica é um estado alterado de consciência alcançado com o uso de ritmos como batidas de tambores, chocalhos ou paus. “Oh não”, você pensa, “Eu sabia que as coisas estranhas estavam chegando , vou parar por aqui…”.

Até agora você pode ter imagens de William Hurt em “Altered States” correndo em torno da cidade transformado em um macaco. Na verdade não é tão estranho assim, cada pessoa que vive e respira, experimenta um estado alterado de consciência a cada dia de sua vida. O sono é um estado alterado de consciência, o devaneio é um estado alterado de consciência, a meditação e a oração são estados alterados de consciência.

Não é algo que leva as pessoas a fazerem o que elas não querem. Em uma viagem xamânica, o indivíduo decide quando vai fazer isso, e pode terminá-la a qualquer momento que quiser. O propósito de fazer uma jornada xamânica, como é uma ferramenta muito básica praticada por muitas culturas em todo o mundo, é se comunicar com a teia da vida ao redor e em nós. A experiência varia de indivíduo para indivíduo, mas os resultados da consciência e do consciente são transversais, e as possibilidades de cura ilimitadas.

Trazer as antigas práticas do xamanismo para fora das florestas, e dentro das cidades modernas, para o cotidiano moderno, é uma linha de vida para uma cultura de imersão em informação. É uma maneira de chegar aos nossos vizinhos e colegas de trabalho, aumentar a nossa consciência da natureza, reduzir nossos níveis de stress e melhorar nossas experiências espirituais. Ela sempre existiu nas culturas indígenas, e pode ser encontrada nas selvas de hoje. E o mais importante, para a causa de nossa terra, pelo bem de nossas sociedades doentes, ela precisa ser praticada em nossos ambientes urbanos, pelas pessoas que habitam esses locais.

Compartilhe a ecologia!